fechar Ecovila Empreendimentos

Notícias

ACOMPANHE AS NOVIDADES DA D'ANGELO INCOPAR



24/07/2012

GESTÃO DE PESSOAS

Os erros que mais causam demissões

imagem

Veja os erros que mais causam demissões


Ficar em sites e redes sociais, e fofocar causam mais dispensas do que não ter qualificação


23/07/2012 - 10h16 - Atualizado em 23/07/2012 - 10h16


Camila Botacin
cbotacin@redegazeta.com.br

Ao contrário do que muitos trabalhadores pensam, não é apenas a falta de qualificação profissional a responsável pelas demissões nas empresas. Cada vez mais, ser um bom profissional não garante a permanência em uma vaga de emprego. O relacionamento do funcionário com a equipe e o comportamento no ambiente de trabalho passam a ser mais relevantes.


Pesquisa realizada pela consultora Waleska Farias mostrou que 80% das demissões ocorrem por conta do mau humor, desorganização, falta de educação e, principalmente, falta de cooperação por parte do funcionário.


Segundo a analista de Recursos Humanos da Schincariol, Karine Charpinel, atitudes como fofocas, falta de cooperação, uso de palavrões e faltas não justificadas não passam despercebidas e podem colocar o funcionário no olho da rua. “Quando o empregado pratica algum desses atos, contamina as outras pessoas que compartilham o mesmo ambiente. Não há eficiência que sobreviva, e a pessoa certamente vai ficar na mira do chefe”, diz.


Letícia Novais Caos, analista de Departamento Pessoal da D’Angelo Incopar Construtora, acrescenta que conversas pessoais ao telefone durante o expediente e uso excessivo de redes sociais afetam o funcionário. “Nada disso é proibido, mas quando a pessoa começa a exagerar no uso do celular ou dar risadas altas, por exemplo, atrapalha diversos setores e tira a atenção dos outros colegas. Isso acaba tirando o rendimento da equipe”.


Ter um bom comportamento é essencial para o funcionário não ser visto como imaturo. “O profissional pode ser qualificado e trabalhar com perfeição, mas se não tiver ética, ele não será respeitado”, reitera Letícia. Isso afeta em futuras contratações. Para Karine, a resolução desses problemas só é possível com diálogo. “A empresa precisa orientar os funcionários e promover conversas com os chefes, evitando que alguém saia prejudicado”.


Texto extraído do portal GazetaOnline, acesso pelo link: http://migre.me/a1oLc




Compartilhe



Av. Nossa Senhora dos Navegantes, 495, Centro Empresarial Enseada, Sala 501, Enseada do Suá, Vitória-ES. CEP: 29.050.420. Tel: (27) 3026.9966 | (27) 3026.9977